Cancioneiro Queer

16 anos

Venda em andamento

Descrição:

Release: O concerto cênico Cancioneiro Queer aborda canções de repertório eruditopopular que atravessam a Ópera, o Teatro Musical Brasileiro, além de canções da Broadway e Off Broadway, encenadas em formato de cabaré. Em 2016, foi o responsável por lotar o Teatro de Bolso do SESC Palladium na abertura da programação do mês de novembro, voltada para Visibilidades e Invisibilidades de Gênero. Também realizou apresentação gratuita no Conservatório UFMG, selecionado pelo edital Palco Livre, além da sua curta temporada de estreia, na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes. Foto: Fernando Badharó O repertório é eclético, com canções de diferentes estilos e de compositores de diversas nacionalidades, apresentado com voz, piano, contrabaixo, violão e bateria. Obras do compositor russo Mischa Spoliansky (1898-1985), que criou composições consideradas como os primeiros hinos LGBT dos quais se tem conhecimento, se misturam às canções de compositores como Kurt Weill (1900-1950), um dos primeiros compositores contemporâneos a abordar temática homoerótica. Há também músicas de ópera e um repertório brasileiro, que além de clássicos como “Bárbara” e “Geni e o zepelim”, de Chico Buarque, apresenta a canção “Imagina”, composta para a peça musical A Social (que esteve em cartaz no espaço dos Parlapatões, de São Paulo, em 2015), e Modinhas Imperiais (1831) do compositor carioca Lino José Nunes (1789-1847). Com uma abordagem relativamente abrangente das experiências que, muitas vezes, ficam apenas ilustradas na “sopa de letrinhas” LGBT, Cancioneiro Queer circula por enredos amorosos e de descoberta homossexual, lésbica e transgênero. 

;