carregando

Alberto Continentino

18 anos

Venda em andamento

Descrição:

'Ultraleve': a potente e sofisticada mistura de estilos de Alberto Continentino

Segundo álbum solo do instrumentista, compositor, arranjador e produtor chega às lojas virtuais e plataformas digitais nesta sexta-feira 14 de Dezembro.
Ultraleve é uma evocação de imagens. O clima que permeia as 12 faixas instrumentais, todas compostas e arranjadas por ele, e mesmo os nomes das músicas — “Oceânica”, “Brisa”, “Praia das Pedras”, “Quieto” — trazem à mente a natureza, a contemplação, o relaxamento. Contribui para isso o tempo de maturação e o modo como a obra foi produzida.

O protagonismo de vibrafone, em faixas como “Étoile filante”, “Náufrago” e “Rosa dos Ventos”, por exemplo, remete a um momento-chave do latin jazz: a parceria de João Donato com o vibrafonista Cal Tjader, no início da década de 1960. “Foi na mesma época em que Stan Getz gravou o disco com João Gilberto. Esse ponto de lapidação do latin jazz foi o que busquei”, descreve Continentino.
As gravações foram nos estúdios Audio Rebel e Marini, no Rio, e tiveram início em 2013. Além de Continentino (contrabaixo), o quinteto que deu forma a “Ultraleve” é formado por Bernardo Bosisio (guitarra), Arthur Dutra (vibrafone), Stéphane San Juan (percussão) e Renato Massa (bateria). A produção é de Kassin e Guilherme Monteiro. 

“O meu primeiro disco solo (“Ao som dos planetas”, de 2015) foi produzido com menos espaço para performances individuais. Em 'Ultraleve', eu quis que cada instrumento tivesse mais liberdade de improvisação. Como conceito, dentro da minha bagagem musical, das coisas que ouvi e toquei, pensei num ponto de fusão do jazz que comporte uma presença muito forte das músicas latina e brasileira. O grupo começou a tocar ao vivo esse repertório ainda em 2012. Fizemos muitos shows e, só depois de algum tempo, entramos em estúdio”, relembra.

Alberto Continentino mal completou 40 anos de vida e já celebra uma marca impressionante: 25 de carreira. Baixista, contrabaixista, compositor, cantor, ele tocou como músico acompanhante de nomes como Adriana Calcanhotto, Maria Rita, Ed Motta, Cássia Eller, Carlinhos Brown e Vanessa da Mata. E compôs para, entre outros, Gal Costa, Ney Matogrosso, Domenico, Zabelê e Silvia Machete.
Projetos anteriores do compositor, arranjador e produtor incluem ainda um trio formado com os irmãos Kiko e Jorge, o Continentrio — que derivou em um disco, homônimo, de 2004 —; o grupo Paraphernália — que também teve álbum, “Ritmo explosivo”, em 2012 —; o projeto Trio Eletrico, com Davi Moraes e Domenico; e o Cometa, com Kassin, exclusivamente instrumental.

Show no Rio de Janeiro

O lançamento oficial de “Ultraleve” será no próximo dia 21 de dezembro, durante um concerto na casa de shows Blue Note Rio, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Além de todo o disco, composições anteriores de Continentino devem aparecer, em performance levada a cabo pelos músicos que participaram da gravação do álbum. A única exceção é a do percussionista francês Stéphane San Juan, que não estará no Brasil e será substituído pelo músico baiano Orlando Costa.

Sessões:

;