carregando

Descrição:

Mineiro de Ubá, Ary Barroso consagrou-se exaltando as belezas naturais do Brasil, a sensualidade e os sabores da Bahia, o samba carioca, o carnaval, o amor, a boemia. Compositor fértil, escreveu perto de trezentas canções em pouco mais de três décadas. Hoje, mais de cinquenta anos após a sua morte, a obra de Ary Barroso já recebeu os mais diversos sotaques, os mais improváveis arranjos e as mais variadas platéias, passando por mãos (e vozes) de centenas de artistas mundo afora.

A esses somam-se, agora, a cantora Alice Passos e os violonistas André Siqueira e Maurício Massunaga. “Ary” dá forma quase camerística a (colocar crase) obra do autor de Aquarela do Brasil sem, no entanto, abdicar do  espojamento e da imprevisibilidade, marcas do temperamento desse compositor que, no tempo em que era locutor esportivo, chegava a fechar os olhos quando seu time de coração sofria com os ataques adversários.

Em “Ary” sobrevive um Ary Barroso apurado pelo tempo, sobrevive sua obra remoçada pela sensibilidade desses artistas. E sobrevive a necessidade, nesses tempos nebulosos, de seguir sempre cantando. Na batucada da vida.

Sessões:

;